terça-feira, 13 de janeiro de 2009

BLOGS E FOUCAULT

Por Francisco José dos Santos Braga

O que está alguém a fazer no espaço-tempo de um blog?
Muitas são as razões que levam uma pessoa a se expor diante dos usuários da Internet, fazendo obviamente que os blogs possuam também lógicas próprias. O que vem a seguir só se aplica a blogs em que haja um discurso sobre o Eu, ou seja, em que o escritor está a exercitar o pensar sobre si mesmo.

Acho que Michel Foucault é um dos autores fundamentais para a reflexão de uma escrita de si, que ele por primeiro chamou "l' écriture de soi" e cujos traços identificou na cultura greco-romana dos séculos I e II D.C. A noção de uma escrita de si está ligada ao exercício ("áskesis") constante de um pensar sobre si mesmo. O que a escrita de si proporciona é um falar sobre o Eu, possibilita a constituição do Eu. O Eu nasce do falar e da escrita. A essa escrita, que é uma forma de constituição do Eu, Foucault a chama de "ethopoiética", para utilizar um qualificativo presente em Plutarco.

Duas são as formas que a escrita de si mesmo assume na cultura greco-romana.
A primeira era constituída pelos "hypomnêmata", que consistiam em notas que se tomavam por escrito, cadernos pessoais contendo citações, fragmentos de obras ou pensamentos que serviam de "ajuda-memória" para o dia-a-dia.

A outra modalidade de escrita de si consistia na correspondência. Sob a forma de "hypomnêmata" enviados a outrem, ou ainda quando o missivista se correspondia com alguém para auxiliá-lo, esta carta, em ambas as situações, constituía, para o escritor, uma maneira de se treinar.

"Escrever é então 'se mostrar', se fazer ver, fazer aparecer seu próprio rosto junto do outro. E, por isso, é preciso compreender que a carta é, ao mesmo tempo, um olhar que dirige ao destinatário (pela missiva que ele recebe, sente-se olhado) e uma maneira de se dar a seu olhar pelo que a gente diz de si mesmo." (Minha tradução de Foucault, 2001: 1244) Ou seja, trata-se de fazer coincidir o olhar do outro com aquele (olhar) que se volve para si próprio.

Neste ponto é possível constatar a necessidade de se possuir um estilo retórico característico, acompanhado de certa capacidade de persuasão por parte do escritor do blog, quer nos relatos auto-biográficos, quer nas entrevistas imaginárias com interlocutores também imaginários.

Mas por que me reporto a Foucault para falar sobre blog? Porque o blog parece ser uma combinação dessas duas formas de escrita "ethopoiética" (sob a forma de "hypomnêmata" ou de correspondência), exclusivamente nos casos em que há um discurso sobre o Eu, tornando possível uma articulação de elementos da escrita para o outro e da escrita para si mesmo.


FOUCAULT, Michel (2001), "L' Écriture de Soi", Dits et Écrits, 1954-1988, Volume II (1976-1988), Paris: Gallimard, pp. 1234-1249.


* Francisco José dos Santos Braga, cidadão são-joanense, tem Bacharelado em Letras (Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras, atual UFSJ) e Composição Musical (UnB), bem como Mestrado em Administração (EAESP-FGV). Além de escrever artigos para revistas e jornais, é autor de dois livros e traduziu vários livros na área de Administração Financeira. Participa ativamente de instituições no País e no exterior, como Membro, cabendo destacar as seguintes: Académie Internationale de Lutèce (Paris), Familia Sancti Hieronymi (Clearwater, Flórida), SBME-Sociedade Brasileira de Música Eletroacústica (2º Tesoureiro), CBG-Colégio Brasileiro de Genealogia (Rio de Janeiro), Academia de Letras e Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei-MG, Instituto Histórico e Geográfico de Campanha-MG, Academia Valenciana de Letras e Instituto Cultural Visconde do Rio Preto de Valença-RJ e Fundação Oscar Araripe em Tiradentes-MG. Possui o Blog do Braga (www.bragamusician.blogspot.com), um locus de abordagem de temas musicais, literários, literomusicais, históricos e genealógicos, dedicado, entre outras coisas, ao resgate da memória e à defesa do nosso patrimônio histórico.Mais...

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Ócio Merecido

Por Francisco José dos Santos Braga *

Conforme a própria denominação deste blog indica, este é um locus que pretende suscitar alguns questionamentos no campo das artes - especialmente no da música - bem como das letras, da filosofia, da história e da genealogia.

No que se refere à música, concretizei um velho sonho: obtive meu grau de bacharel em Música na área de Composição pela Universidade de Brasília. 222 créditos cursados nos últimos cinco anos não são pouca coisa. Aqui entre nós, acho que há muito exagero numa graduação em Música, a começar pelo desperdício de recursos públicos despendidos em certas disciplinas de relevância discutível, não obstante constarem do currículo como obrigatórias ou optativas. Certo professor português em visita ao Departamento de Música da UnB informou-me que a União Européia baixou uma norma de que o curso de graduação em Música não pode durar mais de 3 anos.

Bem, no segundo semestre de 2008 consegui apresentar o seguinte saldo de realização artística:

1. um meu arranjo para octeto de sopros da peça Prelude to a Kiss, de Duke Ellington, teve boa aceitação, sendo apresentado no Auditório do Departamento de Música e no salão do Bay Park em Brasília em 04/12, sob a regência competente de Mariana Borges;

2. com apoio da Livraria Musimed, o fagotista Fábio Benites e eu estreamos, em 06/12, nosso recital para fagote e piano, em sua sala de concerto, com o seguinte repertório: Concerto em lá menor de Vivaldi, Sonata em mi menor de Benedetto Marcello e Valsa Seresta de Hilda Reis. Na ocasião, foi ouvida minha peça eletroacústica microtonal para piano e soprano virtuais intitulada Lírica Espacial (que foi escolhida para fazer parte de um kit de 5 CDs comemorativo dos 50 anos de música eletroacústica no Brasil a ser lançado pela Petrobrás brevemente).

Depois de um semestre pleno de estresse devido a vários fatores (especialmente, pela enorme atividade e criação artísticas e também pelo mau desempenho da economia brasileira atrelada à economia mundial), vi-me obrigado a fazer uma trégua de fim de ano e retirar-me para o Campo das Vertentes, mais exatamente a cidade de São João del-Rei e vizinhança.

Desfrutando da companhia do Presidente da Academia de Letras de São João del-Rei, Dr. Wainer Ávila e sua esposa Regina e do meu sobrinho Ricardo Campos e sua namorada Cris, ambos webdesigners, fomos minha esposa Rute Pardini que é cantora lírica e eu ao encontro de Dr. Oscar Araripe, célebre literato e pintor, e de sua esposa Cida. A recepção se deu na Fundação Oscar Araripe, em Tiradentes-MG, cujo Presidente imediatamente nos convidou a integrar o quadro de Curadores da Fundação.

Debatemos longo tempo sobre a conveniência de instituir-se uma organização coletiva de entidades culturais, constituída pela Academia de Letras de São João del-Rei, Fundação Oscar Araripe e Instituto Cultural Visconde do Rio Preto de Valença-RJ, visando à consecução dos amplos objetivos artísticos comuns e a um reflorescimento cultural das comunidades envolvidas. Constatada uma grande afinidade entre as entidades presentes ao encontro, sugeri que se contactasse o Presidente do ICVRP de Valença para informá-lo de nossas gestões e solicitar o seu apoio para o Projeto. Também ofereci a minha participação artística, bem como de minha esposa, em quaisquer eventos musicais destinados ao atingimento das referidas metas coletivas.

Além disso, em companhia do Dr. Wainer entreguei cópia de meu arranjo para a peça de Duke Ellington ao regente da Banda do Regimento Tiradentes, Sr. Vicente, ao regente da são-joanense Orquestra Ribeiro Bastos, Rodrigo Sampaio e ao regente e Presidente da Lira Ceciliana de Prados, Sr. Adhemar de Campos Neto.

Estou curioso de ver o resultado dessas ações em prol da Arte.


* Francisco José dos Santos Braga, cidadão são-joanense, tem Bacharelado em Letras (Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras, atual UFSJ) e Composição Musical (UnB), bem como Mestrado em Administração (EAESP-FGV). Além de escrever artigos para revistas e jornais, é autor de dois livros e traduziu vários livros na área de Administração Financeira. Participa ativamente de instituições no País e no exterior, como Membro, cabendo destacar as seguintes: Académie Internationale de Lutèce (Paris), Familia Sancti Hieronymi (Clearwater, Flórida), SBME-Sociedade Brasileira de Música Eletroacústica (2º Tesoureiro), CBG-Colégio Brasileiro de Genealogia (Rio de Janeiro), Academia de Letras e Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei-MG, Instituto Histórico e Geográfico de Campanha-MG, Academia Valenciana de Letras e Instituto Cultural Visconde do Rio Preto de Valença-RJ e Fundação Oscar Araripe em Tiradentes-MG. Possui o Blog do Braga (www.bragamusician.blogspot.com), um locus de abordagem de temas musicais, literários, literomusicais, históricos e genealógicos, dedicado, entre outras coisas, ao resgate da memória e à defesa do nosso patrimônio histórico.Mais...

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Apresentação

Francisco José dos Santos Braga nasceu em São João del-Rei, em 1949. Freqüentou o curso primário no Grupo Escolar João dos Santos, fundado em 1908, e o curso secundário no Colégio Santo Antônio, no prédio que hoje sedia a UFSJ-Universidade Federal de São João del-Rei. Ao mesmo tempo, fez os cursos de Solfejo, Ditado, Teoria Musical e Piano no Conservatório Estadual de Música Padre José Maria Xavier. Graduou-se em Letras pela Faculdade Dom Bosco de Filosofia, Ciências e Letras (atual UFSJ).

Em São Paulo, deu continuidade a seus estudos acadêmicos e musicais. Obteve o grau de Mestre em Administração pela EAESP-Fundação Getúlio Vargas, com a dissertação "Aspectos Operacionais e Análise do Desempenho de Três Fundos Mútuos - Estudo de Caso". Simultaneamente, prosseguiu seus estudos musicais com o Maestro Souza Lima (piano) e Sérgio O. de Vasconcellos Corrêa (composição).

De 2002 a 2006, participou dos Cursos Internacionais de Verão promovidos pela EMB-Escola de Música de Brasília, tendo como professores os compositores Oscar Edelstein (Argentina), Christopher Bochmann (Portugal) e Jorge Antunes e Gilberto Mendes (Brasil), além do professor de piano Sergei Dukachev (Rússia).

Desde seus tempos de Conservatório até o presente, Francisco tem-se apresentado em recitais como solista e co-repetidor em várias cidades brasileiras, tais como Brasília, São Paulo, Goiânia, Anápolis, Belo-Horizonte, São João del-Rei, Juiz de Fora, Santos Dumont e Divinópolis, entre outras.

Em 2008, já liberado de suas atividades profissionais, finalmente obteve o seu Bacharelado em Composição pela UnB-Universidade de Brasília. Durante o curso, duas de suas obras tiveram especial projeção: Tema com Variações para piano (executada em 14 de outubro de 2007 pelo Prof. Daniel Tarqüínio, como parte das comemorações da CBC-Capital Brasileira da Cultura-2007, no Teatro Municipal de São João del-Rei) e uma peça eletroacústica chamada Lírica Espacial. Esta peça microtonal consta de 3 movimentos para piano e soprano virtuais, com duração de 4 min 43 seg. Foi composta em 2004: o programa utilizado na sua composição foi Logic Audio para MacIntosh; a gravação foi editada, mixada e masterizada em ProTools. A "Lírica Espacial" foi incluída na Coletânea de Música Eletroacústica Brasileira (no CD nº 3, Spatium), organizada e produzida pela SBME-Sociedade Brasileira de Música Eletroacústica. A referida Coletânea foi lançada em 2008, sob o patrocínio da Petrobrás.

Entre suas principais atividades acadêmicas e profissionais, destacam-se as de ter sido professor da EAESP-Fundação Getúlio Vargas (1976-1980 e 1985-1986), Agente Fiscal de Rendas do Estado de São Paulo (1983-1988), Fiscal de Tributos Federais (atual AFTN) (1980-1983), Secretário Adjunto da Fazenda do Estado de Rondônia (1987) e Consultor Legislativo do Senado Federal (1988-1998).

Orgulha-se de ter cooperado com o Ministro Hélio Beltrão na Modernização da Receita Federal (1980-1983) e com o Presidente José Sarney na Modernização do Senado Federal (1994-1996). No contexto dessa última, teve o privilégio de ser o redator do Ato nº 11 da Comissão Diretora do Senado Federal, que criou o Coral do Senado Federal, do qual é o idealizador e fundador.

Traduziu muitos livros nas áreas de Finanças e Contabilidade, merecendo destaque "Princípios de Administração Financeira", de Lawrence J. Gitman, cuja tradução à primeira edição fez para a Harper & Row do Brasil (1977). Além disso, é autor, em parceria com o Prof. Jacob Ancelevicz, dos livros "Contabilidade Básica - Um Estudo Programado" (1979) e "Contabilidade Básica - Exercícios" (1981).

Na seara historiográfica, escreveu em 1992 - ano em que se comemorava o bicentenário da morte do Alferes Joaquim José da Silva Xavier - dois artigos para a Revista de Cultura Vozes (constantes do Blog de São João del-Rei), o primeiro dos quais ("São João del-Rei: A Terra Natal de Tiradentes") deu origem a um discurso do Senador Alfredo Campos (PMDB-MG) em Plenário (11/03/1992) e a um opúsculo intitulado "Tiradentes, Cidadão Sanjoanense (uma contribuição ao restabelecimento da verdade histórica acerca do local de nascimento do Tiradentes)"; o segundo artigo, intitulado "Encontro em São João del-Rei discute cidadania desmemoriada e preservação do Patrimônio Histórico", trouxe em seu bojo a famosa "Carta de São João del-Rei" (1992), promulgada em sessão solene, no Salão Nobre da Prefeitura dessa cidade, na noite do dia 21 de abril. Esse último artigo  foi também publicado pelo Jornal de Brasília.

Na Gráfica do Senado Federal publicou o livro "Manual de Orientação aos Prefeitos (Fontes de recursos para financiamento de projetos)" (1993), em co-autoria com o Senador Ney Suassuna, distribuído aos Municípios de todo o País, e o livro "Guia Administrativo (Orientação para convênios)" (1994), em co-autoria com o Senador Onofre Quinan, amplamente distribuído aos Municípios goianos.

Além disso, para o Jornal de Brasília e o Correio Braziliense escreveu artigos que abordam desde temas genealógicos e musicais, até propostas de modernização do Legislativo e do Estado brasileiro.

Convidado pela AVL-Academia Valenciana de Letras a participar com um artigo para o Livro Comemorativo dos 60 Anos de sua Criação, contribuiu com um ensaio denominado "Gênio Mozart, por Norbert Elias", que veio a lume em 2009, disponibilizado em dezembro de 2009 no Blog do Braga (vide abaixo).

Seus ensaios e artigos são hospedados por vários portais institucionais. Também é colaborador ativo de importantes sites dedicados a temas culturais, cabendo mencionar os seguintes:
- www.saojoaodelreitransparente.com.br
- www.csdp.salesianos.br
- www.concertino.com.br

Possui o Blog do Braga (www.bragamusician.blogspot.com), um locus de abordagem de temas musicais, literários, literomusicais, históricos e genealógicos, dedicado, entre outras coisas, ao resgate da memória e à defesa do patrimônio histórico nacional.

Participa, como Membro, de várias instituições no País e no exterior, cabendo destacar as seguintes:

- Académie Internationale de Lutèce, Paris, França
- Familia Sancti Hieronymi, Clearwater, Flórida, USA
- SBME-Sociedade Brasileira de Música Eletroacústica (2º Tesoureiro)
- Colégio Brasileiro de Genealogia, Rio de Janeiro
- Academia de Letras de São João del-Rei
- Academia Valenciana de Letras (Valença-RJ)
- Academia Divinopolitana de Letras (Divinópolis-MG)
- Academia Taguatinguense de Letras (Taguatinga-DF)
- Academia Barbacenense de Letras (Barbacena-MG)
- Academia Formiguense de Letras (Formiga-MG)
- Academia Lavrense de Letras (Lavras-MG)
- Academia Divinopolitana de Letras (Divinópolis-MG)
- Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei
- Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal (Brasília-DF)
- Instituto Histórico e Geográfico de Campanha-MG
- Instituto Cultural Visconde do Rio Preto (Valença-RJ)

Nomeado para o cargo de Secretário Especial de Relações Institucionais do IHG-São João del-Rei, por Ato de seu Presidente, em 4 de setembro de 2011.

Nomeado pelo Decreto Conjunto nº 001/2011, de 6 de setembro de 2011, dos Municípios de Ritápolis, São João del-Rei e Tiradentes para integrar o Conselho da Medalha "Comenda da Liberdade e Cidadania", na qualidade de Secretário.

Em 5 de fevereiro de 2012, empossado no cargo de Secretário da Diretoria do IHG-São João del-Rei, eleita para o biênio 2012-2014.

Comendador, tendo sido agraciado com as seguintes honrarias:
- Medalha do Primeiro Centenário do Nascimento de Bernardo Sayão, que me foi outorgada em solenidade realizada no Catetinho, recebida, com muito orgulho, das mãos de Léa Sayão, filha de Bernardo Sayão, em 14 de setembro de 2002
- Comenda da Liberdade e Cidadania em sua 1ª edição, nas ruínas da Fazenda do Pombal, em comemoração ao "Dia da Liberdade" (13/11/2011)
- Medalha de Mérito Cívico "Tomás Antônio Gonzaga", concedida pela OCIM-Ordem dos Cavaleiros da Inconfidência Mineira, na Casa dos Contos, em Ouro Preto (15/11/2011)
- Medalha comemorativa dos 30 Anos da Academia de Letras de Brasília, na sede da LBV, em Brasília (20/03/2012)
- Medalha "Frei Orlando - Patrono do SAREx (1913-2013)", concedida pelo CMO-Comando Militar do Oeste (dezembro de 2013)

Contato: fjsbraga@gmail.com