segunda-feira, 13 de junho de 2016

ACADEMIA DIVINOPOLITANA DE LETRAS COMPLETA 55 ANOS COM SOLENIDADE DE POSSE DE NOVA DIRETORIA


Por Francisco José dos Santos Braga



I.  INTRODUÇÃO



Foi inesquecível por seu elevado valor cultural e artístico, a um só tempo solene e leve, a noite festiva que reuniu no dia 7 de junho de 2016, 3ª feira, às 19h 30min, no Centro Franciscano de Formação e Cultura, na Rua Minas Gerais, nº 582, em Divinópolis, expressivo número de  confrades da ADL-Academia Divinopolitana de Letras, dois representantes da Câmara Municipal de Divinópolis (vereadores Anderson Saleme e Adilson Quadros) e convidados com indiscutível participação na sociedade de Divinópolis e demais interessados. 

A noite dessa reunião que tinha tudo para ser formal e maçante, foi transformada por seus principais atores num grande "happening" de congraçamento e performance artística. Para isso, o Presidente João Carlos Ramos, que nesta reunião estava sendo reconduzido para um novo mandato, contou com a organização e assessoramento competentes dos acadêmicos Augusto Ambrósio Fidelis e Prof. Dr. Fernando de Oliveira Teixeira, os quais deram a esse evento um brilho notável, na opinião unânime dos que tiveram a sorte de ali comparecer, o que  vem comprovar que a ADL ocupa posição de destaque junto à sociedade de Divinópolis, na defesa de suas letras, sua cultura e suas artes. Por essas razões, eu, como sócio correspondente do egrégio sodalício divinopolitano, senti-me orgulhoso de ser um dos que tem apoiado todas as suas ações nos diferentes campos de sua atuação.

Ao final daquela noite memorável, ficou-nos a impressão de que fomos agraciados, graças à perfeita organização do evento, com peças literárias de incontestável valor: discurso do Presidente fazendo um balanço do seu primeiro mandato e apresentando planos para o segundo, belos discursos de dois acadêmicos homenageados, dois recitais (um de declamação de poemas e outro de performance musical) e, finalmente, pronunciamentos de dois vereadores divinopolitanos, que homenagearam a ADL com sua marcante presença e uma moção congratulatória da Câmara Municipal à ADL.

Os organizadores do evento tiveram muito bom gosto na escolha do bem localizado e claro auditório do Centro Franciscano de Formação e Cultura, que dava para um jardim atraente e bem cuidado. Em suma, o ambiente era um estímulo ao brilho intelectual e propício a lampejos de criatividade.

Em suma, a beleza da noite, o auditório convidativo, a acolhida calorosa dispensada pelos acadêmicos a todos os presentes, a alegria das pessoas que compareceram, a ausência de formalismo tudo conspirou para que nos sentíssemos em casa, entre amigos de longa data, o que contribuiu para que o festejo do 55º aniversário da ADL tenha sido tão singelo, quando transmitiu, com rara felicidade, o lado humano da Instituição. 

Gostaria de consignar aqui meu agradecimento aos acadêmicos João Carlos Ramos e Prof. Fernando de Oliveira Teixeira pela forma elegante e acolhedora com que fui recebido e pelo envio dos pronunciamentos abaixo transcritos na íntegra, da forma como foram proferidos pelo Presidente e pelo Mestre de Cerimônia. 

Presidente João Carlos Ramos 
Crédito: Rute Pardini 


 


II.  CRÔNICA DA REUNIÃO QUE COMEMOROU O 55º ANIVERSÁRIO DA ADL-ACADEMIA DIVINOPOLITANA DE LETRAS E A POSSE DA NOVA DIRETORIA PARA O MANDATO 2016-2017



1) Abertura (a cargo do mestre de cerimônia Samuel do Vale, repórter da TV Candidés, de Divinópolis)

Boa noite, senhoras e senhores, acadêmicos e acadêmicas presentes,

A Academia Divinopolitana de Letras celebra anualmente, com a solenidade de posse de sua Diretoria para novo mandato, o aniversário de sua fundação.

Na realidade, o sodalício comemora cinquenta e cinco anos de uma caminhada de sucessos ¹, que a fidelidade de seus membros consegue manter e superar ao longo do tempo, embora enfrentando dificuldades materiais.

Ficou na história a lembrança das tertúlias de José Maria Álvares da Silva Campos e Sebastião Bemfica Milagre, na antiga Farmácia Campos, situada na Rua Goiás, onde surgiu a ideia de instituir uma academia de letras. Jadir Vilela de Souza, que regressava à sua terra natal, se junta a eles e, na data do aniversário natalício de Carlos Altivo, outro seduzido pela proposta, a Academia Divinopolitana de Letras se fez realidade. Era o dia 8 de junho de 1961.

Foram convidados os primeiros ocupantes de cadeiras, constituindo a entidade os seguintes membros, chamados fundadores: Jadir Vilela de Souza, Sebastião Bemfica Milagre, José Maria Álvares da Silva Campos, Carlos Altivo, Gentil Ursino Vale, Rosenwald Hudson de Oliveira, Odilon Ferreira Santiago, Geraldo Moreira, Joaquim Coelho Filho, Petrônio Bax, José Carlos Pereira e Rosa de Freitas Souza.

Em 21 de junho daquele ano de 1961 era eleita a primeira diretoria, sendo escolhido presidente Gentil Ursino Vale, em reunião presidida por José Maria Campos, o mais idoso dos presentes.

Começava, então, a história oficial da ADL, seguindo-se a eleição de outros membros, inaugurando eventos alvissareiros e marcando sua presença em Divinópolis através dos anos, graças ao denodo e amor  de seus membros à instituição.

Registrados os primórdios de uma história significativa, iniciamos o ritual da solenidade com a composição da Mesa Diretiva desta reunião. Temos a honra de convidar para ocupar seu lugar à Mesa o Presidente João Carlos Ramos, o 1º Secretário Joaquim Medeiros de Oliveira, Francisco José dos Santos Braga, representando o Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei, e Artur Filgueiras, representando o comandante do 23º Batalhão da Polícia Militar.

Composta a Mesa, o Presidente Acadêmico João Carlos Ramos assume o comando da reunião a partir deste momento, para a posse da Diretoria - mandato 2016/2017.



2) Palavra inicial do Presidente João Carlos Ramos

Boa noite a todos.
Eu, em nome da Instituição, agradeço a presença de amigos e autoridades.

Como é tradição nesta Casa de Letras, a data de oito de junho marca dois eventos: a posse da Diretoria eleita por um ano, na forma do Estatuto, e a lembrança da fundação da ADL, ocorrida há 55 anos. 

Por circunstâncias especiais, a reunião acabou fixada para hoje, sem que perca seu brilho e particular significado.


3)  Chamada dos Acadêmicos presentes


PRESIDENTE:  Peço ao Primeiro Secretário, acadêmico Joaquim Medeiros de Oliveira, para fazer a chamada dos acadêmicos presentes.

4)  Cerimônia de Posse da Diretoria eleita para o período de junho de 2016 a junho de 2017


PRESIDENTE:  Confio ao Secretário Geral, acadêmico Fernando de Oliveira Teixeira, o encargo, a partir de agora, da cerimônia de posse dos eleitos para o período de junho de 2016 a junho de 2017, noticiando a eleição e convocando os eleitos para assinarem o Termo de Posse, a saber: Presidente - João Carlos Ramos, Vice-presidente - Augusto Ambrósio Fidelis; Secretário Geral - Fernando de Oliveira Teixeira; 1º Secretário - Joaquim Medeiros de Oliveira; 2º Secretário - Mercemiro de Oliveira Silva; 1º Tesoureiro - Márcio Zacarias Lara; 2º Tesoureiro - Manoel Ferreira do Amaral.

5) Anúncio do Discurso do Presidente reeleito, Acadêmico João Carlos Ramos

MESTRE DE CERIMÔNIA: Após a assinatura do Termo de Posse, tem a palavra o Presidente reeleito, acadêmico João Carlos Ramos.


6)  Discurso do Presidente reeleito, Acadêmico João Carlos Ramos


Confrades e confreiras.
Autoridades presentes.
Senhoras e senhores!

Diz o salmista Davi no livro santo que "Deus levanta do pó o necessitado e o faz assentar entre os príncipes". Tal sentença, indubitavelmente, se aplicou à minha pessoa ao ser elevado à categoria de Presidente da maior instituição literária e cultural da cidade de Divinópolis, a ADL.

Tal fato ocorreu em Junho de 2015, quando eu, banhado de esperança, proferi um discurso histórico, prometendo uma gestão profícua à luz da modernidade.

Escudado pelos imortais da ADL, avançamos em todas as áreas possíveis, criando laços indispensáveis com os principais segmentos da sociedade local.

Dentre os eventos que marcaram essa gestão que se finda, podemos assinalar a entrega do TROFÉU ORFEU/2016 na Câmara Municipal de Divinópolis. Tal evento foi a continuidade do áureo projeto que houvera sido criado pelo nobre acadêmico, ex-Presidente, Augusto Fidelis, em maior escala evolutiva. Na primeira noite, toda a imprensa divinopolitana representada recebeu o TROFÉU, havendo júbilo e gratidão entre os ilustres homenageados. Na noite consecutiva, destacados membros da comunidade artística e cultural também foram galardoados com o referido troféu. Fomos brindados com a lindíssima voz da cantora lírica Rute Pardini, acompanhada pelo maestro Francisco Braga. Renomados artistas locais também se apresentaram, além da banda da gloriosa polícia militar.

Durante a referida gestão, tivemos a honra de realizar o CHÁ DAS 5 em duas datas consecutivas, cessando provisoriamente por motivo de força maior.

Algo que nos fez chorar copiosamente, abrindo um caminho para a reflexão: Partiram para a outra terra além do rio... os valorosos acadêmicos efetivos OSWALDO DIOMAR, GUILHERME SANCHES E JOÃO AUGUSTO DIAS, além da esposa do veterano Mercemiro de Oliveira Silva.

Nessa noite em que somos empossados membros da Diretoria eleita da gestão 2016/2017, eu, na qualidade de Presidente, me sinto feliz e agradecido.

Cônscio do dever cumprido, iniciamos uma nova jornada, preparando terreno para a próxima gestão do eleito desbravador. Pretendemos descortinar novos horizontes, trabalhando na área de projetos, visando a concretização do ideal de servir.

Agradeço imensamente a todos os membros da ADL que nos auxiliaram e orientaram, especialmente o grupo que compõe o quadro diretor. Dentre todos quero destacar a figura do Secretário Geral Fernando de Oliveira Teixeira e do ex-Presidente Augusto Fidelis, nobres amigos na hora dos vendavais, escudos de caráter, da verdade e do cumprimento do estatutário.

Vivemos à beira do caos em uma crise política, econômica e institucional sem precedentes. Permaneceremos incólumes, rumo ao sucesso da causa acadêmica...

Termino minha fala com o poema que se segue:

Rompe a manhã
enquanto trevas densas caem atrás de nossos sonhos.
Cavaleiros não temem o avançar, armados de sabedoria, sempre prontos para o golpe imortal na inércia.
Lutaremos bravamente.
O sucesso e a alegria não têm fim.

Obrigado!
 


JOÃO CARLOS RAMOS  
PRESIDENTE DA ACADEMIA DIVINOPOLITANA DE LETRAS


7) MESTRE DE CERIMÔNIA: Empossada, como de praxe a Diretoria, passamos à segunda parte desta solenidade, quando se comemoram os 55 anos da ADL. Este ano  a celebração se fará com uma homenagem aos dois mais antigos membros da entidade: a acadêmica Maria da Conceição Elói ²  e o acadêmico José Dias Lara ³, ambos com um currículo literário notável e com bons  serviços à confraria.  Foram ambos eleitos para as respectivas cadeiras, após os doze pioneiros.


MARIA DA CONCEIÇÃO ELÓI  ocupa a cadeira número  16, na qual foi empossada em 2 de setembro de 1961, tendo escolhido por patrono o poeta Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac. Natural de Divinópolis, viúva do industrial Reinaldo Diniz Santos, é mãe  de oito filhos, todos casados. Reside atualmente em Belo Horizonte. Publicou os seguintes livros:  Luz Ausente (1967); Arcas, Arcazes e Baús (1978); Poemas da América (1992), além do opúsculo, em parceria com o filho Luciano Elói Santos: “Centenário de Isidoro Augusto dos Santos – Ex-Delegado Municipal de Divinópolis e Pai de dois ex-combatentes“. Participou da primeira antologia da ADL, denominada “Mar, todas as águas te procuram”, além de outras, entre as quais “Literatura em Movimento” da Academia Feminina de Letras de Minas Gerais, que presidiu, além de inúmeras outras do país. Figura com verbete dos seguintes dicionários: “Dicionário da Literatura Brasileira” – OLC-1990, Dicionário Bibliográfico de Escritores Contemporâneos - Teresina, Piauí e Dicionário de Mulheres – Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Na ADL ocupou os cargos de secretária, tesoureira e bibliotecária, tendo sido ainda presidente, secretária, tesoureira e secretária da Casa da Amizade das Senhoras de Rotarianos de Divinópolis, uma das fundadoras da Revista da instituição e autora de seu hino; sócia da Sociedade Amigas da Cultura de BH; membro da Academia Feminina de Letras de Minas Gerais, onde ocupou vários cargos, inclusive a presidência, além de pertencer  a várias academias  e entidades culturais de todo o Brasil. Recebeu também vários prêmios por sua obra poética e de ficcionista, bem como a Medalha da Inconfidência. É de se notar que lecionou em escolas de ensino fundamental de Divinópolis  e escreveu a letras dos hinos da Grupo Escolar Jovelino Rabelo, quando aqui exerceu o magistério.

Por estes títulos e por figurar no quadro dos acadêmicos pioneiros da ADL, convido a acadêmica Maria da Conceição Elói, acompanhada da acadêmica Maria Aparecida Camargos Freitas e do acadêmico Fernando de Oliveira Teixeira, para receber a medalha e o diploma como reconhecimento de sua presença na ADL. 
Acadêmica Maria da Conceição Elói e sua filha Dra. Silva Maria Elói Santos
 Crédito: Fernando Gontijo Camillo / Coluna Preto no Branco



JOSÉ DIAS LARA nasceu em Divinópolis e ocupa a cadeira nº 22 do sodalício, para a qual foi eleito, tendo ocorrido a posse  em 9 de outubro de 1963, patrono Mário Casasanta.  Formado em  Línguas Neolatinas pela Faculdade de Filosofia da UMG, hoje Faculdade de Letras da UFMG em BH, voltou à terra natal para exercer o magistério na disciplina de Língua Portuguesa no antigo Colégio São Geraldo, onde também ministrou aulas de Latim e Espanhol. Fundou e dirigiu, por 23 anos, o Colégio Leão XIII de marcante significação no ensino local; fundou ainda e dirigiu a Faculdade de Filosofia e Letras de Divinópolis, primeiro estabelecimento de ensino superior da cidade, hoje UEMG, do qual foi professor de três cadeiras com aprovação do Conselho Federal de Educação. Bacharelou-se em Direito pela FADOM,  recebendo o Prêmio Clóvis Salgado, atribuído aos alunos que destacaram no curso. Fundador e primeiro presidente do Lions Clube Candidés,  exerceu várias funções no Distrito L-11, chegando à condição de Governador, eleito que foi na Convenção de Poços de Caldas e empossado na Convenção Internacional de Dallas,  nos Estados Unidos. Distingue-se ainda pelo fato de ser sócio-fundador da Academia Mineira de Leonismo, cadeira nº 13, patroneada por João Guimarães Rosa, correspondente do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal  e de outras entidades culturais. Escreveu, dentre outras, as seguintes obras: Crase a seu alcance (opúsculo de cunho didático), Divinópolis com Amor e Humor (crônicas de caráter histórico), Dicionário de Dúvidas e Dificuldades da Língua Portuguesa (livro premiado pela União Brasileira de Escritores em solenidade na Academia Brasileira de Letras), Ubaldo Scarioli – Alegria de Viver e Dona Neném – Sua Vida, sua história (biografias), Professor Lara – Em vida o que ocorreu na minha vida (autobiografia). Detentor de várias comendas, é também vicentino, pertencente à Conferência São José em Divinópolis. Por seus serviços à ADL, da qual foi brilhante presidente, e pela honra de tê-lo como membro, convido o acadêmico José Dias Lara, acompanhado da acadêmica Elizabeth Fernandes Quadro e do acadêmico Mercemiro Oliveira Silva,  para receber a medalha e o diploma como reconhecimento de sua presença na ADL, bem como o reconhecimento de seus pares.
Acadêmico José Dias Lara e suas filhas
 Crédito: Fernando Gontijo Camillo / Coluna Preto no Branco


Quero agradecer  à Academia Divinopolitana de Letras a oportunidade de, mais uma vez, participar de um evento seu e cumprimentar a Diretoria eleita, na pessoa do acadêmico João Carlos Ramos, rogando, ao ensejo, licença para deixar o recinto em razão de outro compromisso. Passo, portanto, a direção dos trabalhos ao acadêmico presidente. 

8) PRESIDENTE: Agradeço a colaboração sempre prestimosa do jornalista Samuel do Vale, que se dispôs, apesar de compromissos, prestigiar este evento acadêmico. Muito obrigado.


Em seguida, abro espaço para pronunciamentos. Inicialmente concedo a palavra aos acadêmicos homenageados: MARIA DA CONCEIÇÃO ELÓI e JOSÉ DIAS LARA. (Ambos discursaram brilhantemente, tendo sido muito ovacionados.)

9) PRESIDENTE:  Para abrilhantar a parte artística do evento, a acadêmica honorária Cidah Viana irá apresentar uma performance poética sob o título "Uma Noite Sem Ela", o mesmo do livro de idêntico nome que escrevi.

O primeiro poema declamado foi uma inspirada homenagem do poeta João Carlos Ramos  à sua esposa Marita da Conceição Ramos: 

           MARITA
                 João Carlos Ramos
"Marita
Bela,
Escultural,
Serena...
Superior
a
de Tróia, Helena. "
Após lenta pausa, Cidah Viana fez nova intervenção: 

MÃE 
                                                 João Carlos Ramos
A mãe disse à bela filha:
– "Não case agora.
O sol ainda não raiou.
Espere! (eu tenho experiência).
Homem que chega cedo
não tem maturidade
e nem conhece o outro lado do amor."

A moça não casa,
ouvindo a sábia mãe.

No outro dia chega a carta:
"Príncipe Encantado 
para a moça que esperou.
Sou seu amado."
 
A seguir, Cidah Viana declamou o encontro do poeta com a sua contraparte:

O POETA E A FERA
                    João Carlos Ramos                                          
Ela
era uma fera,
mesmo sendo mulher.
Rica.
Mãos manchadas
em crimes de flores e frutas.
Uma tarde,
um poeta a encontrou
no beco-sem-saída
do destino...
Abriu os lábios como sempre
e pérolas rolaram na lama...
Imediatamente
a mulher tornou-se dócil e mais bela.
O amor entrara,
explodindo a porta...
Ela tremia e chorava
ao som do sino do luar:
– Eu preciso de ti
amante peregrino!
– Nunca é o prêmio 
do passado imprudente...
– Serei tua para sempre
ou fera novamente.
– Não sou teu! Adeus!
A consciência proclama:
Sou casado, mesmo sendo chama.

"O destino da bela cruel" é o título do quarto poema de João Carlos Ramos declamado por Cidah Viana:

O DESTINO DA BELA CRUEL
                  João Carlos Ramos

O nome dela
é justiça.
O sobrenome é excesso de poder:
atrás de si
deixou homens chorando...
A crueldade da beleza
teve o seu último dia.
Um desprezador
veio de longe...
e armado de sorriso tentador
e múltiplas atenções,
aprisionou a fera
em seu peito.  
                                  
10) PRESIDENTE: Dando continuidade à parte artística do evento, gostaria de pedir à cantora lírica Rute Pardini que viesse à frente para compartilhar conosco um pouco de sua carreira internacional, cantando alguma de suas peças preferidas, desde já desculpando-me por não ter antecipadamente comunicado que haveria esse convite à cantora. (Atendendo o convite do presidente João Carlos Ramos, Rute Pardini avançou até a frente da sala, dizendo que, na ausência de um piano como acompanhamento, cantaria a capella a ária "Deh vieni, non tardar", precedida pelo respectivo recitativo intitulado "Giunse alfine il momento", ambos cantados por Susanna no Ato IV da ópera "As Bodas de Fígaro", de Mozart.)
Cantora Rute Pardini (esq.) e declamadora Cidah Viana 
Crédito: Rute Pardini 

11)  PRESIDENTE:  A pedido, concedo também a palavra aos Vereadores presentes, Anderson Saleme e Adilson Quadros. (Ambos fizeram uma exposição sobre o bom intercâmbio desenvolvido pela Academia com a Câmara Municipal e manifestaram seu compromisso de retomar, junto ao próximo gestor executivo divinopolitano, as tratativas sobre a doação de um lote para a construção da nova sede para a Academia Divinopolitana de Letras e, aproveitando o ensejo, homenagearam a ADL, fazendo-lhe a entrega de uma Moção Congratulatória nº 43/2016 ricamente emoldurada, assinada pelo Presidente da Câmara Municipal, pelo que foram longamente aplaudidos).

12)  PRESIDENTE (retomando a palavra): 


Senhoras e senhores, acadêmicos e acadêmicas presentes, 

Uma posse é sempre um momento de assunção de responsabilidades e a Diretoria, escolhida pelos confrades e confreiras, tem consciência de seu papel na história da ADL, por isto, e em nome dela, não só me atenho aos compromissos regulamentares, mas peço a ajuda de todos para levar a bom termo a missão que assumo. Há que dar-se as mãos, ADL e comunidade, para que este sodalício possa ser parte relevante na construção de uma Divinópolis cada vez maior no contexto de Minas e do Brasil.

Não poderia, entretanto, fechar a cortina desta solenidade sem dirigir um agradecimento especial aos franciscanos, na pessoa de frei Laércio,  pela cessão deste espaço para esta posse acadêmica, à acadêmica Cidah Viana pela gentileza e disponibilidade na apresentação da parte artística, à cantora Rute Pardini pelo engrandecimento do evento com a sua voz inigualável, ao acadêmico Augusto Ambrósio Fidelis e a todos que, direta ou indiretamente, auxiliaram a ADL na realização desta festa.

Pela presença de amigos e acadêmicos o muito obrigado  desta Casa de Letras.

Que Deus abençoe a todos, a quem desejo uma boa noite.

Está encerrada a sessão. 



 
III.  NOTAS EXPLICATIVAS




¹  Parabéns ao jornal AGORA de Divinópolis por ter feito excelente cobertura do evento com a matéria "55 Anos" na coluna social "Preto no Branco", de Sônia Terra. Confira in https://www.facebook.com/jornalagoradiv/photos/a.219029864848533.55118.217095555041964/1026719170746261/?type=3&theater
Acesso em 09/06/2016.

²  Registro a presença de inúmeros familiares da acadêmica Maria da Conceição Elói, prestigiando a homenageada, com destaque para a sua filha pesquisadora e médica patologista clínica do Hospital das Clínicas da UFMG, Dra. Silvana Maria Elói Santos, vencedora do Prêmio Jabuti 2011. 

Já próximo ao fim de seu discurso, a acadêmica Maria da Conceição Elói informou ao auditório que conseguira localizar uma crônica dos primórdios da ADL, de autoria de frei Basílio, fazendo a sua leitura no púlpito. A velha crônica tratava da posse do então neoacadêmico José Dias Lara, a quem homenageava com palavras vivas e cores fortes. O autor da crônica parece que antevia o futuro brilhante do insigne escritor, educador e intelectual divinopolitano, que iria mais tarde contribuir para a fundação da UEMG em Divinópolis. 

A amizade e a generosidade da acadêmica homenageada, que incluiu em seu discurso esse trecho final em honra do outro acadêmico homenageado naquela noite, foram muito bem apreciadas pelo público presente, que correspondeu com uma grande salva de palmas.


³  Digna de destaque foi a presença das três filhas do Prof. José Dias Lara, prestigiando o pai homenageado no evento: Fátima, Maria Elizabeth e Margareth.


⁴  Cidah Viana, a declamadora dos poemas, confidenciou-me que não colocou toda a carga dramática que os poemas exigiam para não "comprometer" o ilustre e "boêmio" escritor.

9 comentários:

Anônimo disse...

Nosso estimado e honrado confrade Francisco Braga, sempre nos representando com o maior brilho nas diversas plagas acadêmicas, trazendo-nos com riquezas de detalhes os acontecimentos dali e acolá.

De nossa irmã divinopolitana, em especial, não só se tornando um arauto mas, também, uma ponte direta entre a Academia de Letras de São João del Rei e a Academia Divinopolitana de Letras.

Somos gratos.

Musse João Hallak

Francisco José dos Santos Braga (escritor, pianista e compositor, gerente do Blog de São João del-Rei e do Blog do Braga) disse...

Sinto-me honrado de apresentar breve crônica da reunião que comemorou o 55º ANIVERSÁRIO DA ADL-ACADEMIA DIVINOPOLITANA DE LETRAS E A POSSE DA NOVA DIRETORIA PARA O MANDATO 2016-2017.

A noite dessa reunião que tinha tudo para ser formal e maçante, foi transformada por seus principais atores num grande "happening" de congraçamento e performance artística. Parabéns aos organizadores do evento (João Carlos Ramos, Augusto Fidelis e Fernando Teixeira) por terem oportunizado a todos os presentes uma noite de encantamento e brilho intelectual!

Cidah Viana (atriz e diretora de teatro, pedagoga e membro honorário da Academia Divinopolitana de Letras) disse...

Esplêndidas palavras, Francisco Braga!
Fico lisonjeada!
Meus sinceros agradecimentos!
Grande abraço!

Geraldo Ananias Pinheiro (escritor e autor de inúmeros romances) disse...

Muito bom, parabéns.
Abraços.

José Cláudio Henriques (escritor, jornalista, redator de O Grande Matosinhos, membro da Academia de Letras e presidente do IHG de São João del-Rei) disse...

Meus parabéns presidente João Carlos por mais uma gestão que tenho certeza será de grande sucesso. Faço votos que a nossa parceria continue florindo, na maioria das vezes representada pelo nosso Secretário de Relações Institucionais, Francisco José dos Santos Braga.

Um grande abraço dos confrades do IHG de São João del Rei.

João Carlos Ramos (poeta, escritor, gestor cultural, presidente da Academia Divinopolitana de Letras, Sócio Correspondente da Academia de Letras e do IHG de São João del-Rei e da Academia Lavrense de Letras) disse...

Prezado Presidente José Cláudio,
Foi extremamente agradável a presença do nobre Francisco Braga, nosso confrade na ADL por ocasião de minha posse como Presidente.Trata-se de um espírito seleto e somos dependentes dele, constantemente, bem como de sua esposa, a cantora Rute. Somos gratos. O grande casal equivale a um império. O IHG/SJDR foi honrado e será sempre.

Obrigado!

Paulo Roberto Souza Lima (escritor, gestor cultural e membro do Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei) disse...

Prezado Francisco, boa noite. Ler o seu texto faz meu pensamento voar como uma borboleta e me faz sentir como quem está presente na cerimonia. Parabéns pelo seu estimulante texto.
Abraços na Rute.

João Carlos Ramos (poeta, escritor, gestor cultural, presidente da Academia Divinopolitana de Letras, Sócio Correspondente da Academia de Letras e do IHG de São João del-Rei e da Academia Lavrense de Letras) disse...

Prezado Dr. Francisco Braga,
Bom dia!
Agradeço-lhe imensamente pela publicação da pérola literária em seu Blog sobre a cerimônia do dia 07/06 em Divinópolis.
Enviei ao IHG/SJDR grandes elogios ao amigo e sua grande senhora, Rute Pardini.
Disse se tratar de um império, o ilustre casal.
A presença do ilustre e felicíssimo casal abrilhantou o evento de forma incalculável.
Que Deus lhes pague a fidelidade!

Paulo Rodrigo Natividade Milagre (advogado, corretor de imóveis avaliador e membro da Academia Divinopolitana de Letras) disse...

Excelente crônica. Retratou a realidade da reunião. Até para nós, acadêmicos, foi uma surpresa aquela noite gostosa, descontraída e repleta de participações maravilhosas.
Foi um grande prazer poder rever você e sua esposa em nossa reunião; isso, com certeza, muito nos alegra.
Um cordial abraço do amigo.