sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

O PEREGRINO DE ASSIS, de frei Joel Postma o.f.m.


Por Francisco José dos Santos Braga *

Este artigo apareceu originalmente no JORNAL DE MINAS, publicado em São João del-Rei, Ano XIII, nº 237, 29/11 a 05/12/2013, p. 2 e 3. 

Eis aqui, São Francisco, uma embaixada!

Frei Joel Postma pertence à antiga leva de freis holandeses que chegou ao Brasil até a década de 60, tendo sido enviado para a Província de Santa Cruz em Minas Gerais. Frei Joel nasceu em Haia, no dia 8 de março de 1929. Cursou Filosofia e Teologia na Província Franciscana da Holanda, na década de 1950. Após a ordenação presbiteral, aperfeiçoou seus estudos musicais no Instituto Holandês de Música Sacra, tendo como principais mestres Albert de Klerk, na classe de órgão, e Herman Strategier, na classe de harmonia e contraponto. Diplomou-se em 1959. No final desse mesmo ano, transferiu-se para o Brasil, tendo fixado residência em Divinópolis, onde desempenhou as funções de mestre de canto dos estudantes de Teologia da Província Franciscana e de regente dos corais: “Coro do Santuário Santo Antônio”, “Pequenos Cantores da Cruz de São Damião” e “Coro dos Franciscanos”. Esses três coros, sob sua regência, gravaram dois LPs; "Salmos e Cânticos" em 1961 e "Cantai ao Senhor Terra Inteira" em 1963, do compositor e liturgista francês Joseph Gelineau. 
No ano de 1964, frei Joel transferiu-se para a cidade de Santos Dumont, onde passou a desenvolver intensa atividade pedagógica e fecunda criação artística. Além de professor no Seminário Seráfico Santo Antônio, fundou o Coral “Trovadores da Mantiqueira” que, a partir de então, passou a ser o primeiro intérprete de suas composições.

Pátio do Seminário Seráfico Santo Antônio
Outro ângulo do pátio do Seminário Seráfico


A cantata "O Peregrino de Assis" foi composta em 1966 no referido Seminário. É uma obra para coro a 4 vozes, solista(s) e declamador, com acompanhamento de piano, onde frei Joel busca divulgar as benemerências do "Poverello de Assis" e, para isso, coloca sua arte a serviço do apostolado. Na partitura da cantata encontra-se ampla utilização de constâncias rítmicas e melódicas inspiradas na folk-música brasileira e, também, de “modos” do canto gregoriano. Com participação do Coro de Câmara Pró-Arte, sob a regência de Carlos Alberto Figueiredo, Paulinas-COMEP gravou a cantata em 1997 na Sala Cecília Meireles e a disponibiliza em forma de CD. Em 2008, com participação da Orquestra de Cordas da Universidade Pública, da UnB, foi gravada em DVD a apresentação da cantata no Teatro Nacional Cláudio Santoro sob a regência do maestro Emílio de César, com patrocínio da Província de Santa Cruz. Uma de suas peças centrais, "A Morte de São Francisco", encontra-se disponível no YouTube:
Além dessa primeira cantata, outras foram compostas por frei Joel: “Francisco, Jogral de Deus” (1969), “Os Louvores do Irmão Francisco” (2001) e “Legenda de Santa Clara” (2005).
Atendendo ao convite da CNBB para ocupar a função de Assessor para a Música Litúrgica, frei Joel transferiu-se para Brasília, em 1984, permanecendo neste cargo até 1997. Dentre muitos projetos desenvolvidos à frente do Setor Música Litúrgica da CNBB, merecem destaque o “Hinário Litúrgico”, obra em quatro volumes com amplo repertório de diversos compositores da Igreja Católica no Brasil, e o “Curso Ecumênico de Formação e Atualização Litúrgico-Musical” (CELMU), destinado à formação de agentes pastorais da música litúrgica. No mesmo ano que frei Joel chegou a Brasília (1984), fundou um coral paroquial misto, “Trovadores do Planalto”, que, além de cantar cada domingo na paróquia de Santo Antônio (911 Sul), também o fazia na Catedral de Brasília nas grandes solenidades, especialmente no tempo de Dom José Freire Falcão. A principal atuação desse coral ocorreu na missa oficiada pelo papa João Paulo II, na sua visita a Brasília, e nos encontros dos bispos em Itaici (Indaiatuba, SP), onde se realizavam as Assembleias Gerais da CNBB.
Quanto ao coral “Trovadores da Mantiqueira” fundado por ele há 47 anos atrás, é um coro misto. A sua formação atual é de 40 coralistas, sendo 17 seminaristas aspirantes ao noviciado (grupo variável) e o restante integrado por vozes femininas locais, além de um cantor, Crispim (grupo permanente). O trabalho de todos os integrantes do coral exige muito sacrifício, idas permanentes aos ensaios, dispêndio de dinheiro e trabalho voluntário sem nenhum apoio oficial. Frei Joel, então, precisa contar com o apoio de cada um dos integrantes que vem em forma de Amor.




Trovadores da Mantiqueira

Neste ano de 2013, duas récitas da cantata “O Peregrino de Assis” foram apresentadas no Seminário Seráfico Santo Antônio (local em que foi composta em 1966): em 9 de outubro (dentro da semana em que se celebra o Dia de São Francisco de Assis) e 30 de novembro. A segunda récita constituiu uma iniciativa em favor do Dia Mundial de Combate à AIDS. A essa última apresentação compareceram o Presidente da Academia Marianense de Letras, Dr. Roque Camêllo, o Presidente da Academia Barbacenense de Letras, Prof. Mário Celso Rios, bem como Dr. Luiz Mauro Andrade da Fonseca, representando o Centro de Memória Belisário Pena, da Associação Médica de Barbacena, com suas respectivas delegações.


     Da esq. p/ dir.: Dr. Roque Camêllo, frei Joel, o autor e Dr. Luiz 
 
 Mauro Andrade da Fonseca, na apresentação da cantata 

O Peregrino de Assis


Da esq. p/ dir.: O autor e Prof. Mário Celso Rios

Nas apresentações artístico-litúrgicas em 2013, além dos 40 coralistas, apresentaram-se, sob a regência de frei Joel, um declamador (frei João Ricardo Teodoro), solistas (frei Gabriel José de Lima Neto e Rute Pardini), com acompanhamento pianístico deste autor, o qual tem colaborado ativamente com as apresentações de frei Joel desde 1988.



* O autor é  compositor e pianista, membro do Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei, onde ocupa a cadeira nº 22 patronímica do escritor e poeta são-joanense Lincoln de Souza, e da Academia de Letras de São João del-Rei, onde ocupa a cadeira 28 patronímica de Dr. Antônio de Andrade Reis. Outras instituições de que participa como membro: IHG de Campanha, Academia Valenciana de Letras e Instituto Cultural Visconde do Rio Preto (Valença-RJ), Academia Divinopolitana de Letras, IHG-DF, Academia Taguatinguense de Letras, Academia Barbacenense de Letras e Colégio Brasileiro de Genealogia (Rio de Janeiro-RJ).

12 comentários:

Anônimo disse...

Francisco Braga,

Cordiais saudações.

Conheci, na cidade de Divinópolis,no Santuário Sto Antônio, nos idos do ano 60, Frei Joel, franciscano, sempre voltado ao coral, onde regia alguns.

Gostaria muito de conhecer esta cantata- O Peregrino de Assis-, da qual, não tenho a menor dúvida de que ela é curiosa.

Na apresentação, em Santos Dumont, oportunidade em que todos nós, da Academia de Letras de São João del Rei, tivemos, através do convite transmitido por você,Francisco Braga, eu estava de viagem marcada para o pantanal.

Certamente, um dia conhecerei, não só esta cantata mas, outras peças de Frei Joel.

Fico muito orgulhoso em saber da sua contribuição ativa, há tanto tempo,nas apresentações de Frei Joel, o que, efetivamente, só as enriquece.

Abs.

Musse Hallak

Prof. Fernando Teixeira disse...

Prezado Braga, agradeço o envio desta homenagem a um frade, cuja contribuição para a cultura de Minas e, mesmo do Brasil, é realmente marcante. Ao ensejo, quero mandar, em meu nome pessoal e de minha família, Aninha e filhos, os votos de um santo Natal para você e Rute, bem como um ano de 2014, em que a Família do Presépio - Jesus, Maria e José - seja presença em suas vidas. Abraço do confrade e amigo,
Fernando Teixeira

Prof. José Lourenço Parreira disse...

Caro Braga, li, com atenção reverente, seu artigo sobre o Peregrino de Assis, Frei Joel... Tocou-me o coração, - pois, nosso tempo de adolescente na querida Terra da Música não se afasta do meu coração, - saber que você , de certa forma, é a hodierna expressão do grande Lincoln de Souza. Quando estudava no Conservatório, não raro, eu visitava a sala Lincoln de Souza que, dentre outras coisas, tinha até um busto do nobre jornalista e intelectual.
PAZ!

Lourenço Parreira

Prof. José Maurício de Carvalho disse...

Obrigado pelo envio. Esses freis holandeses fizeram e continuam fazendo muito bem a nossa terra. São todos possuidores de excelente formação humana e artística e só trazem boas coisas ao Brasil. Aproveito para desejar-lhe um santo natal e um ano de 2014 cheio de boas realizações para você e toda a família.
Maurício

Dr. Aristides Junqueira disse...

Grato pelo belo presente de Natal.
Aristides

Pedro Paulo Torga da Silva disse...

Caro amigo, obrigado! Aproveito a oportunidade para desejar a você, Rute, sua querida mãe e todos os seus um Santo Natal e um 2014 de muita paz, música e artigos no Blog do Braga. Fiquem com Deus! Tô chegando aí para o final de ano, abração,

Pedro Paulo

Cristina Krauss disse...

Prezado Francisco Braga,
Agradecemos todos os "presentes" que nos enviou, ao longo do ano, postagens sempre permeadas pela nossa riqueza cultural.
E também lhe formulamos votos de um Natal abençoado, um 2014 pleno de realizações e alegrias, extensivo a todos os seus!
Família Alexandre Werneck
Dezembro/2013.

Dr. Roque Camêllo (Presidente da Academia Marianense de Letras) disse...

Dr. Francisco Braga,

Ainda guardamos vivos, em nossa memória, os momentos de enlevo espiritual, assistindo, em 30 de novembro, à cantata “O Peregrino de Assis”. Merania e eu devemos isto a você e à Rute que, com o amável convite, nos proporcionaram algo inesquecível. De um lado, ambos como peças fundamentais integrando aquele grupo primoroso sob a regência do extraordinário autor Frei Joel Postma. De outro, haurir a vida do Proverello de Assis com música e canto concebidos exatamente ali no Seminário Seráfico Santo Antônio, um lugar muito especial para a História de uma cidade.

Assim, essa urbe não apenas, aliás com muito orgulho, é o berço do grande gênio Santos Dumont, mas é também a casa abençoada da gestação desta cantata “O Peregrino de Assis”. Em breve, será o seu cinquentenário (2016), uma efeméride a ser celebrada em grande estilo. Seria interessante que fosse apresentada antes em diversas localidades, construindo o clima para o grande momento. Não só a Cultura estará se enriquecendo. A própria Igreja terá mais um quadro de reflexão a propósito de sua missão evangelizadora e de acolhimento aos menos favorecidos.

Enfim, todos estarão ganhando na medida em que se traz para perto o paradigma de São Francisco de Assis, aquele que se entregou, sem reservas, nas mãos do Criador para distribuir paz e amor às pessoas e à natureza.

Cumprimento cada um que deu voz e alma à obra do Frei Joel Postma cujas virtudes já estão em crédito volumoso na contabilidade divina.

A você e Rute, que Deus lhes conserve e multiplique os dons artísticos e espirituais para continuarem a fazer o bem. Tenham um Feliz Natal e um próspero Ano Novo.
Roque

Frei Joel Postma o.f.m. (autor de O PEREGRINO DE ASSIS e regente do coral Trovadores da Mantiqueira) disse...

Prezados amigos Francisco e Rute,

Venho agradecer-lhes pelo belo comentário do Dr. Roque Camêllo, que, como o texto mostra, realmente soube apreciar nossa apresentação. Tais comentários animam muito a gente para espalhar, pelo canto, a espiritualidade franciscana. Nosso canto foi bem sucedido graças à participação de vocês, mais uma vez , quero mostrar-lhes minha sincera gratidão por isto.

Aproveito desta oportunidade, para desejar-lhes um abençoado Natal e um feliz Ano Novo, repleto de muita alegria musical e de boa saúde.

Um abraço do irmão-amigo, Joel.

Prof. Mario Celso Rios (Presidente da Academia Barbacenense de Letras) disse...

Como diz o poema de Manuel Alegre "Trova do Vento que Passa", - para mim, BRAGA - você também é uma pessoa especial,
A SEMEAR ESSA LUZ POR ONDE VIVE,
POR ONDE SEU SINAL DE ARTISTA VAI SENDO ESPALHADO...
E MESMO HAVENDO VENTOS, FAVORÁVEIS E OUTROS NEM TANTO...
VOCÊ VAI CULTIVANDO AMIGOS,
GENEROSIDADE
E UM AMOR TELÚRICO
A GRITAR QUÃO SAGRADA É NOSSA PÁTRIA!
HONRA E DIGNIDADE!
VALENTIA PECULIAR DOS GRANDES ESPÍRITOS!
Abraço, M. CELSO

Getúlio Targino Lima (Presidente da Academia Goiana de Letras) disse...

Amigo Braga

é sempre um prazer receber suas comunicações, indicativas da existência de trabalhos invariavelmente oportunos e de alto significado cultural e, especialmente, literário.
Agradeço e cumprimento o caro amigo.
sinceramente
getulio targino lima

Elza do Val Gomes (regente do Coral Júlia Pardini, fundado em 6/01/1960, e editora-chefe do Jornal ARRUIA) disse...

Francisco Braga.
Recebi sua mensagem e quem agradece sou eu, pelo seu artigo que foi além de uma narrativa, mas motivo de boas recordações para mim. O Coral Júlia Pardini, em seu começo de vida, ia sempre à cidade de Santos Dumont e teve o privilégio de contar com Frei Joel em ocasiões memoráveis. Antes que ele editasse "O Peregrino de Assis", pude preparar sua obra com o coral que fez muitas apresentações, inclusive na Italia, em Assis e Roma, no Colégio Pio Brasileiro e na Igreja de Santo Antônio... Boas lembranças que fazem parte da história do Coral que neste ano comemora seu 58º ano de vida. Portanto, sou eu quem agradeço pela oportunidade e, tambem, pelo seu blog que traz, sempre, artigos que expressam não só seus conhecimentos e vivências que inspiram, mas sua generosidade e sensibilidade. Abraços para Rute e você.