terça-feira, 16 de julho de 2019

"DIA DE MINAS" COMPLETA 40 ANOS EM 2019


Por Francisco José dos Santos Braga
Membro da Casa de Cultura de Mariana-Academia Marianense de Letras, Ciências e Artes, ocupante da cadeira nº 23 patroneada pelo Prof. Roque José de Oliveira Camêllo

Imagem: Raphael Gustavo Marques da Costa

Mariana é "berço da civilização mineira", aqui compreendidas a tradição cultural e a religiosidade cristã de Minas Gerais. Essa cidade, cujo principal epíteto é "primaz de Minas", foi descoberta em data de 16 de julho de 1696, dia em que a bandeira chefiada pelo Coronel Salvador Fernandes Furtado de Mendonça chegou a um ribeirão denominado do Carmo, por ser aquele dia dedicado a Nossa Senhora do Carmo; muito naturalmente, a localidade onde hoje se localiza o município de Mariana tomou a santa como sua padroeira. O primitivo Arraial do Ribeirão do Carmo nasceu, sendo depois sucedido por outros como Camargos, Furquim, Cachoeira do Brumado, Bento Pires e outros. Em 1711 o Arraial do Ribeirão do Carmo foi elevado à vila, a primeira de Minas, com o nome de Vila do Ribeirão de Nossa Senhora do Carmo (1711) e nela se estabeleceu a capital (1712) da então Capitania de São Paulo e Minas de Ouro, criada em 1709. A seguir, foi a primeira cidade da Capitania de Minas Gerais, desmembrada da de São Paulo a partir de 2 de dezembro de 1720 por Dom João V de Portugal. Também em 1745 a Vila Real do Ribeirão de Nossa Senhora do Carmo foi elevada à categoria de cidade, com o nome de Mariana, em homenagem à esposa de D. João V, rainha Maria Ana D'Austria. Ainda em 1745 o Papa Bento XIV fez de Mariana a sede do primeiro Bispado de Minas Gerais, desmembrado da diocese do Rio de Janeiro. Relembrando, Mariana foi a primeira vila (1711), a primeira capital (1712), a primeira cidade (1745) e a primeira diocese (1745) de Minas, sendo com justa razão chamada de "primaz de Minas". Cabe ainda acrescentar que em 1906 Mariana foi julgada digna de ser Arcebispado e em 6 de julho de 1945, em homenagem aos 200 anos de sua elevação a cidade, o Presidente Getúlio Vargas erigiu em Monumento Nacional todo o acervo arquitetônico, urbanístico e paisagístico de Mariana (DL 7713, de 06/07/1945).

Em 16 de julho de 1977, o saudoso professor Roque José de Oliveira Camêllo, então membro da Casa de Cultura de Mariana - Academia Marianense de Letras, Ciências e Artes, durante a sessão comemorativa do 281º aniversário de Mariana, lançou a ideia de se instituir o 16 de Julho como data cívica estadual, recebendo o apoio do então presidente da Casa, historiador Waldemar de Moura Santos, dos Acadêmicos, das Autoridades Municipais e da comunidade marianense. Sendo esse projeto encaminhado ao Governo do Estado e à Assembleia Legislativa, o governador Francelino Pereira dos Santos sancionou a Lei nº 7561, em 19 de outubro de 1979, consagrando o 16 de Julho como Dia do Estado de Minas Gerais, no art. 256 da Constituição mineira. Originalmente tal artigo dizia que o Dia de Minas Gerais era data cívica do Estado e seria celebrado anualmente na cidade de Mariana, com transferência simbólica da capital para o referido município, mas silenciava quanto à obrigatoriedade de a mesma data ser considerada feriado estadual, diferentemente de outros Estados da Federação, que decretam feriados estaduais as suas datas magnas, por exemplo São Paulo (9 de Julho) e Bahia (2 de Julho).

Ozanan dos Santos, no seu Blog do Ozanan, nesta data que se comemora o 40º aniversário do Dia de Minas Gerais (16/07/1979 - 16/07/2019), denuncia dois fatores que já levaram a Assembleia Legislativa mineira a emendar três vezes o art. 256 da Constituição mineira: "caprichos eleitoreiros de políticos oportunistas e a inveja de cidades históricas que ainda não se conformam com a celebração do Dia do Estado de Minas Gerais em Mariana".

Embora o governador Romeu Zema tenha feito promessa de extinção de pelo menos 11 medalhas em fevereiro deste ano à participação em solenidades de entrega das homenagens, aí incluídas a medalha da Advocacia Geral do Estado (AGE) e a medalha do Dia de Minas entregue em Mariana, em fins de junho, Romeu Zema recebeu a medalha da AGE no prédio Tiradentes, na Cidade Administrativa. A homenagem não tinha sido colocada na agenda oficial.

Já em relação à medalha Dia de Minas, que foi considerada pelo próprio governo como "a honraria que mais demanda recursos", o governador participou da cerimônia do Dia de Minas em Mariana, neste dia 16 de julho. Sobre a comemoração do Dia de Minas, o governo tinha declarado que a Prefeitura de Mariana seria responsável pela realização e pelas despesas. Já o prefeito de Mariana, Duarte Junior (PPS), afirmou que o Dia de Minas deste ano seria em local fechado e que iria utilizar medalhas que já haviam sido compradas em anos anteriores, não acarretando em custos para a cidade. Segundo ele, o governo estadual nunca custeou a cerimônia, mas que, em gestões anteriores, havia um aparato e estruturas "enormes", o que gerava custo para os cofres públicos.

O site da Rádio Itatiaia acaba de noticiar que
“o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, recebeu nesta terça-feira (16/07/2019) a medalha de Minas, em Mariana, na região central do Estado. Depois da homenagem, Zema visitou o novo Bento Rodrigues, conversou com moradores e com o prefeito da cidade, Duarte Júnior.
De acordo com Duarte, o governador prometeu começar a pagar de imediato o parcelamento das dívidas de repasses constitucionais, que estão atrasados. O assunto é alvo de um acordo judicial que as prefeituras têm aderido.
O parcelamento dos atrasados começaria a ser pago em 2020 e começará para os outros municípios, mas, de acordo com o Duarte Júnior, prometeu iniciar o pagamento do parcelamento para Mariana de imediato.

Ou seja, vê-se que continua válida a conclusão do mais conhecido dramaturgo inglês: "Tudo vai bem, quando termina bem."

A cidade de Mariana é guardiã de importante acervo do patrimônio cultural e histórico de Minas Gerais. Pode-se citar os seguintes pontos turísticos mais apreciados: casarios coloniais, com destaque para a casa do Barão de Pontal; conjunto arquitetônico e urbanístico da vila (1711), hoje cidade de Mariana (enquanto vila, Mariana já apresentava traçado moderno com ruas retas e praças retangulares projetado pelo arquiteto português José Fernandes Pinto Alpoim, distanciando-se, nesse aspecto, das demais vilas do ciclo do ouro, ainda no período colonial); a antiga Casa de Câmara e Cadeia, hoje sede da Prefeitura e Câmara Municipal; Igreja de São Francisco de Assis e de Nossa Senhora do Carmo; Catedral Basílica de Nossa Senhora da Assunção, a Sé marianense, antiga matriz; o órgão Arp Schnitger, aí existente; antigo Palácio dos Bispos de Mariana, atual Museu da Música de Mariana, certificado e inscrito no programa “Registro Memória del Mundo” da UNESCO, deferido em 2011; Seminário Menor de Nossa Senhora da Boa Morte (atual ICHS da UFOP) com sua bela capela; Seminário Maior São José; o histórico solar ocupado pela Casa de Cultura de Mariana-Academia Marianense de Letras, Ciências e Artes, etc.

Pelourinho e Igrejas de São Francisco de Assis e 
Nossa Senhora do Carmo - Imagem: Iphan
Seminário Menor e Capela de Nossa Senhora da Boa Morte - 
Imagem: Google Street View


14 comentários:

Francisco José dos Santos Braga (compositor, pianista, escritor, gerente do Blog do Braga e do Blog de São João del-Rei) disse...

É com a maior reverência que o Blog do Braga se junta a outros meios de comunicação para comemorar o DIA DE MINAS, neste 16/07/2019, na mesma data em que os católicos festejam a Mãe de Cristo, personificada na imagem de Nossa Senhora do Carmo.
Em breves considerações, mostrarei neste texto como isso tem a ver com MARIANA, a "primaz de Minas", e com o saudoso Prof. Roque José de Oliveira Camêllo, ilustre historiador marianense, escritor, advogado e cultor da filosofia e das artes.

https://bragamusician.blogspot.com/2019/07/dia-de-minas-completa-40-anos-em-2019.html

Cordial abraço,
Francisco Braga
Membro da Academia Marianense de Letras (AML)

Prof. José Maurício de Carvalho (ex-professor titular da UFSJ , membro do Instituto de Filosofia Brasileira, do Instituto de Filosofia Luso-brasileira com sede em Lisboa, da Academia de Letras de São João del-Rei e da Academia Mantiqueira de Estudos Filosóficos-AMEF, filósofo, psicólogo e pedagogo) disse...

Muito bem, Braga! Mauricio.

Prof. Fernando de Oliveira Teixeira (professor universitário, escritor, poeta e membro da Academia Divinopolitana de Letras) disse...

Grato pelo envio da matéria, caro Braga, pois oportuno memorial. O Senhor da Vida abençoe você e esposa. Fernando Teixeira

João Carlos Ramos (poeta, escritor, membro e ex-presidente da Academia Divinopolitana de Letras e sócio correspondente da Academia de Letras de São João del-Rei e da Academia Lavrense de Letras) disse...

Parabéns pelo texto.
Obrigado!

Paulo Roberto Sousa Lima (escritor, gestor cultural e presidente eleito do IHG de São João del-Rei para o triênio 2018-2020) disse...

Obrigado pelo envio, confrade.
Parabéns pelo texto e referências ao colega auiense Roque Camello.
Paulo Sousa Lima

Dra. Merania de Oliveira (jornalista e viúva do ex-presidente da Academia Marianense de Letras, Dr. Roque Camêllo, e fundadora do Instituto Roque Camêllo) disse...

Dr. Francisco,
Paz, saúde e alegria!

Como sempre seu texto é um primor, rico em informações, muito bem elaborado.
Já o postei no facebook e vou reenviá-lo aos amigos.
Abraços extensivos a Rute.
Obrigada,
Merania

Dr. Mário Pellegrini Cupello (escritor, pesquisador, presidente do Instituto Cultural Visconde do Rio Preto de Valença-RJ, e sócio correspondente do IHG e Academia de Letras de São João del-Rei) disse...

Caro amigo Braga,

Parabéns pelo seu artigo com um importante e necessário histórico sobre a criação de Mariana e, em especial, a referência ao nosso saudoso amigo Dr. Roque José de Oliveira Camêllo, criador do “Dia de Minas”.

Abraços, de Mario e Beth.

Danilo Carlos Gomes (cronista, escritor e membro da Academia Marianense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal e da Academia Brasiliense de Letras) disse...

Mestre Braga,parabéns por lembrar do saudoso e operoso Roque Camêllo e do Dia de Minas. Valeu mesmo! Abraço do Danilo.

Daniel Mendes (bacharel em Letras pela USP em 2009, é descendente do ilustre latinista Mendes de Aguiar) disse...

Obrigado Francisco pelo email.
Muito interessante seu trabalho, pretendo em breve ler com mais atenção. Falhei em responder e agradecer o email anterior. Obrigado. Eu estive uma ocasião em Mariana, e digo que um dos momentos mais especiais da minha vida foi o concerto no órgão da Sé de Mariana. Saudade dessa cidade e de concertos de música! Moro em Boipeba, uma ilha na Bahia onde tudo é meio trabalhoso demais, e tenho pouco tempo para ler ou fazer minhas artes. Estou animado, porém, com a revisão do "Ausonia Carmina", bem perto do final. Tenha uma ótima tarde!

Merania de Oliveira (jornalista e viúva do ex-presidente da Academia Marianense de Letras, Dr. Roque Camêllo, e fundadora do Instituto Roque Camêllo) disse...

Dr. Francisco,
Bom dia, paz, saúde e alegria!
O senhor é realmente a pessoa mais indicada para ocupar esta cadeira que foi criada para homenagear aquele que foi a alma desta Casa de Cultura-Academia Marianense de Letras. Parabéns!

Frei Joel Postma o.f.m. (compositor sacro, autor de 5 hinários, cantatas, missas e peças avulsas) disse...

Olá, Francisco e Rute,
Meus cordiais parabéns com o Dia de Minas, para vocês e todos os Membros da Academia Marianense de Letras. Diz um Salmo: "Sustentai com arte a Louvação do Criador de tudo!"
Com razão, Mariana é uma 'Cellula Mater' na história de Minas. Que se continue a sustentar com arte esta maravilhosa louvação!
Votos franciscanos de "Paz e Bem!" do irmão f. Joel.

Vamireh Chacon Albuquerque (professor universitário e autor de Os Partidos Brasileiros no Fim do Século XX) disse...

Sempre parabéns a Mariana e às Minas Gerais !

Prof. Cupertino Santos (professor aposentado da rede paulistana de ensino fundamental) disse...

Caro professor Braga;
Muito importantes seus esclarecimentos e notas sobre o 16 de julho no final do séc.XVII. Pessoalmente não conhecia o significado da data. Esses 40 anos da sua instituição não poderia deixar de contar com sua participação.
Muitíssimo grato.
Cupertino

Zélia Leão Terrell (poetisa são-joanense e presidente da Academia de Letras de São João del-Rei) disse...

Parabéns ao amigo e Confrade Francisco Braga, sempre atuante nas Letras.
Coloquei a msg no nosso WhatsApp da AL. Abs.🙏